Carreira Docente

Captura de tela de 2014-08-30 16:16:47

Histórico e Proposta de Carreira do Movimento Docente


As carreiras que compõem o Magistério Federal foram conquistadas em 1987 (Decreto n. 94.664), através da luta da categoria nos anos da redemocratização.

Apesar desta importante conquista, diversas mudanças foram introduzidas na carreira desde então, retirando direitos consagrados em 1987 e precarizando cada vez mais as condições de trabalho dos professores federais.

Para entender este processo e se integrar nessa luta por uma carreira de qualidade, disponibilizamos abaixo dois documentos para leitura:

  1. Cartilha “Carreira em Debate” – Produzida pelo ANDES-SN, com o histórico da carreira até 2010, como subsídio para a construção da Proposta de Carreira do sindicato.
  2. Cartilha “Carreira – Professor Federal” – Produzida pela ADUFRJ SSIND, com a proposta de carreira do ANDES-SN comentada, aprovada em 2011 no 30o Congresso do sindicato.

Carreira Atual e Desafios Futuros


O Magistério Federal é composto por duas carreiras: a carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) e a carreira do Magistério Superior (MS).

Reguladas pela Lei n. 12.772/2012, fruto de projeto de lei proposto pelo Governo Federal à revelia do Movimento Docente representativo, as carreiras atuais mantém diversas características que as afastam da proposta de carreira do movimento, tais como a desestruturação entre níveis, classes, regimes de trabalho e titulação, a existência de mais de uma linha no contracheque e a lógica produtivista como princípio norteador para a progressão/promoção.

O efeito nefasto desse quadro pode ser verificado através da baixa procura pela carreira docente entre os jovens, pelas dificuldades em negociar junto ao Governo Federal um reajuste salarial digno para todos e pelo adoecimento e estresse gerado pela lógica produtivista à qual os professores são submetidos cotidianamente.

Essas características, associadas a outras mudanças legais, tais como as reformas na previdência e a criação de novas classes na carreira, tem aumentado a precarização da atividade docente e imposto, sobretudo aos aposentados, uma condição de vida indigna. Por isso, a reestruturação da carreira encontra-se permanentemente presente na pauta do movimento docente.

Regulamentação da Carreira no CEFET/RJ


Apesar das limitações legais, alguns aspectos relativos à carreira docente são definidos no âmbito de cada IFE, sobretudo os critérios de desenvolvimento (progressão/promoção). Sendo assim, além da luta geral para que a lei que regula a carreira seja modificada, há um palco de lutas local em cada instituição, sobretudo nos conselhos deliberativos.

No CEFET/RJ e nas demais IFE, o órgão responsável por, dentre outras atribuições, avaliar os processos de progressão e assessorar os conselhos nas questões relativas à carreira é a Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD).

Confira abaixo as normas que regulam diversos aspectos da carreira docente no âmbito do CEFET/RJ:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s