Moção de Repúdio ao Governo, à PM e à Assembleia Legislativa do Paraná e de Apoio aos Trabalhadores da Educação em luta

lutar-nao-e-crime

Nós, servidores e estudantes do CEFET/RJ, manifestamos total repúdio ao Governo, à Polícia Militar e à Assembleia Legislativa do Estado do Paraná pelo massacre perpetrado contra trabalhadores da educação e outros servidores do Estado no último dia 29 de abril.

Na ocasião, os servidores em luta, na maioria trabalhadores da educação em greve, protestavam contra um projeto de lei que se encontrava em discussão na Assembleia Legislativa e que visava retirar direitos previdenciários.

Com o objetivo de impedir a entrada dos trabalhadores na Assembleia Legislativa, a Política Militar, sob ordens do governador Beto Richa (PSDB), iniciou um verdadeiro massacre lançando sobre milhares de manifestantes todo o aparato repressivo do Estado, incluindo balas de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral e cães treinados para mutilar, enquanto, nos salões cerrados da Assembleia, o projeto de lei era endossado pela maioria dos deputados.

As imagens são estarrecedoras, de uma covardia sem limites e estão certamente inseridas em um contexto de repressão que se intensifica contra aqueles que lutam por direitos e por uma sociedade mais justa, não somente no Paraná mas em cada rincão deste país.

Cada bala de borracha, cada golpe de cassetete, cada mordida de cão atingiu não somente os trabalhadores da educação em luta, mas cada um de nós. O sangue jorrado pelas feridas abertas manchou não somente o asfalto cinza das avenidas de Curitiba, mas toda a história de luta por uma educação de qualidade.

Enganam-se, entretanto, os que acham que atos de covardia como esse serão capazes de fazer recuar os que lutam. Hoje já somos milhares a sair às ruas, em um ascenso de lutas que mobiliza em todo o país trabalhadores e trabalhadoras de diversos setores. Amanhã seremos milhões a marchar contra aqueles que oprimem os trabalhadores.

TODA SOLIDARIEDADE AOS(ÀS) TRABALHADORES(AS) DA EDUCAÇÃO DO PARANÁ!

LUTAR NÃO É CRIME!

Assinam:

Diretoria da ADCEFET-RJ – Seção Sindical do ANDES-SN

Alberto Jorge Silva de Lima

Marisa Brandão

Carlos Gabriel Lopes Azeredo

João Quadros

Roberto Carlos Antunes Thomé

Carolina Mendes de Oliveira Miller

Luciana Santos Silva Oliveira

Antonio Stephani de Souza Silva

maria cristina giorgi

Giovanna Almeida Tavares

Guilherme Inocêncio Matos

Camila Avelino Cardoso

Marcia Menezes Thomaz Pereira

Marta Maximo Pereira

Silvio Romero de Barros

Andre Luiz Cordeiro dos Santos

Hilario Antonio Rodrigues Goncalves

ALBERTO BOSCARINO JUNIOR

Alexander Soares Magalhães

Andréa Fernandes de Novais

Daniel Neves Micha

Carolina Romão Azevedo

Talita de Oliveira

WELLERSON QUINTANEIRO DA SILVA

Fernanda Zerbinato Bispo Velasco

Renato Domingues Fialho Martins

Dayse Haime Pastore

Julio Vaz

Anna Regina Corbo Costa

Cristiane de Melo Cabral Franca

Leonardo de Bem Lignani

Álvaro Luis Martins de Almeida Nogueira

Maicon Azevdo

Daniel de Azevedo Silva

ANA LUCIA RIGUETI

Se você é servidor(a) (da ativa ou aposentado) ou estudante do CEFET/RJ e deseja assinar esta moção, deixe seu nome no formulário abaixo:

Anúncios

2 Respostas para “Moção de Repúdio ao Governo, à PM e à Assembleia Legislativa do Paraná e de Apoio aos Trabalhadores da Educação em luta

  1. quando atacamos os policiais que são servidores públicos que e estão ali para que se mantenha a ordem publica não se quebre o patrimônio que pertence a toda população que paga por sua manutenção e sua conservação, Como você se sentiria sendo atacado por pessoas que deveriam estar no mínimo reivindicando sim seus direitos mas de forma inteligente e civilizada de forma ordeira.
    quantos policiais ficaram feridos no cumprimento de seu dever quanto sangue de policiais ficaram derramados no mesmo asfalto,
    policiais esses que muitas das vezes tem a consciência de que só com a educação se muda a sociedade,
    Temos que criticar quem realmente e responsável por esse situação e não pessoas que estão ali trabalhando com sol ou chuva, de segunda a domingo, ou feriados muitas vezes com salários que não se compara a nada, Mais estão só cumprindo o seu dever,

    • Prezado Carlos, se a PM está realmente do lado dos trabalhadoras então não deveria cumprir com seu dever quando este dever é traduzido como repressão à liberdade de manifestação, assassinato e tortura.

      A nota é clara neste sentido: repudiamos não somente a PM, mas o Governador, por estar no comando, e a Assembleia Legislativa, por não ter a dignidade de interromper a sessão quando servidores estavam sendo massacrados.

      Saudações de luta,

      Prof. Alberto de Lima
      Diretoria da ADCEFET-RJ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s