Convocação: Ato do Dia Nacional de Luta Pela Educação Pública (26/03, 16h, Candelária)

10386247_1614829135417377_6557345245191264623_n

26M: NENHUM DIREITO A MENOS E PELA EDUCAÇÃO – DERROTAR OS CORTES DE DILMA, PAES E PEZÃO!

O ano de 2015 começou com cortes nas áreas sociais e a tentativa de retirar direitos trabalhistas. Com a crise econômica, os Governos de Dilma, Pezão e Paes (PT/ PMDB) tentam jogar essa conta nas costas da juventude, das trabalhadoras e trabalhadores. A educação foi a área mais atingida pelo Governo Federal, onde 7 bilhões de reais foram cortados. Esta situação levou a seguidos adiamentos do início das aulas na UFRJ, UERJ e em muitas escolas, por exemplo, por atraso nos salários dos terceirizados e cortes nas bolsas estudantis. Nas Universidades privadas, o caso mais emblemático é o corte no repasse do FIES, que fez com que os estudantes não pudessem realizar sua matrícula. Aqui no estado, o Governo Pezão cortou 547 milhões da educação, levando a mais cortes nos orçamentos das Universidades estaduais e precarizando ainda mais a situação das escolas estaduais e Faetec’s, que vão de mal a pior, muitas estão sem água, merenda, telefone e climatização.

A realidade é a mesma de norte a sul do país. Diante da crise que vivemos, os governos federal e estaduais querem que os trabalhadores e a juventude paguem a conta, com demissões, cortes de direitos (como fez o governo com as Medidas Provisórias 664 e 665 que atacam os direitos ao seguro-desemprego), aumentos de impostos, da gasolina, energia elétrica e do transporte público. Enquanto isso, o governo Dilma e os governos estaduais continuam destinando metade do orçamento para os banqueiros através do pagamento das dívidas interna e externa; parlamentares aumentam seus próprios salários; e a Petrobrás segue sendo privatizada e desfavorecida em leilões que entregam nosso petróleo e gás para empresas estrangeiras e sendo saqueada como no exemplo do escandalo da Lava-Jato com bilhões desviados para a corrupção na farra das empreiteiras e de partidos como PSDB, PP, PMDB e PT.

Desde o início do ano, os trabalhadores vem demonstrando que não aceitam pagar pela crise. A verdadeira alternativa já tem sido construída nas ruas, greves e ocupações dos trabalhadores, como nos casos da greve operária da Volkswagen de São Bernardo e da GM de São José dos Campos, as greves dos professores do Paraná, São Paulo e Pará, a luta dos operários do COMPERJ no Rio de Janeiro e a greve dos garis do RJ que tiveram uma importante vitória após fazerem uma onda laranja mais uma vez nas ruas da cidade. Com isso, é fundamental a unidade de todos os setores combativos que querem enfrentar os cortes dos governos e construir o 26M aqui no Rio de Janeiro, seguindo o exemplo dos trabalhadores em luta para fortalecer a luta de cada Universidade e escola. Unificando a luta estudantil à luta dos trabalhadores, vamos construir um grande dia nacional de luta contra os cortes na educação e apoiar as lutas dos trabalhadores que já pipocam pelo país inteiro!

Via FEDEP

Detalhes: https://www.facebook.com/events/967925413217482/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s